Seaso

 Terça-feira, 02.09.2014

                     

O  Centro de Referência de Assistência Social, conhecido também como "Casa da Família" é um espaço de acolhimento e escuta e desenvolve o Programa de Atenção Integral à Família (PAIF), que apresenta os seguintes objetivos:

  •  
    Contribuir para a prevenção e enfrentamento de situações de vulnerabilidade e risco social.
  •  
    Fortalecer os vínculos familiares e comunitários.
  • Promover aquisições sociais e materiais às famílias, com o objetivo de fortalecer o protagonismo e a autonomia das famílias e comunidades.    

                                Endereços dos CRAS:                               

                                                                                                                    

 

CRAS VOLANTE 

 
Rua Carlos Gomes, 3540, esq. com Santa Catarina, Centro
 
Fone/Fax: 45- 3902-1759
 
Coordenadora: Marcia Engel 

 

CRAS INTERLAGOS

 
Rua Solidariedade, 733 - Conjunto Julieta Bueno - Interlagos
 
Fone/Fax: 45- 3902-1776
 
Coordenadora: Vantuir Trevisol 
 
CRAS CASCAVEL VELHO

 

 
Rua Londres, 980 - Cascavel Velho.
 
Fone/Fax: 45- 3902-1735
 
Coordenadora: Tatiana Stahl  
 

CRAS PERIOLO
 

 
R. Romeu Capone esq. com Jaraguá, s/n - Conjunto São Francisco - Periolo
 
Fone: 45- 3902-1768 Fax: 45- 3227-1056
 
Coordenadora: Carla Dalmoro
 
CRAS SANTA CRUZ

 

 
Rua Tito Muffato, nº 2315 - Santa Cruz.
 
Fone/Fax: 45- 3902-2701
 
Coordenadora: Daniela Gomes
 

 

CRAS XIV DE NOVEMBRO

 

 
Rua Jaraguá, esquina com Romário de Oliveira - XIV de Novembro
 
Fone/Fax: 45- 3326-5041
 
Coordenadora: Geni Aparecida Candido
 
Nos CRAS são realizados encaminhamentos para os benefícios e serviços, tais como: Benefício de Prestação Continuada, Benefício Eventual, Ações sócio-educativas de Apoio à Família e acompanhamento das famílias do PROJOVEM Adolescente.
  

 

BENEFÍCIOS E SERVIÇOS DESENVOLVIDOS NOS CRAS

 

 Serviço de Proteção e Atenção Integral à Família - PAIF

Este serviço consiste no trabalho social com famílias, de caráter continuado, com a finalidade de fortalecer a função protetiva das famílias, prevenindo a ruptura dos seus vínculos, promovendo seu acesso e usufruto de direitos e contribuindo na melhoria de sua qualidade de vida. 
Objetivo
  • Fortalecer a função protetiva da família, contribuindo na melhoria de sua qualidade de vida;
  • Prevenir a ruptura dos vínculos familiares e comunitários, possibilitando a superação de situações de fragilidade social vivenciadas;
  • Promover aquisições sociais e materiais as famílias, potencializando o protagonismo e a autonomia das famílias e comunidades;
  • Promover acesso a benefícios, programas de transferência de renda e serviços socioassistenciais, contribuindo para a inserção das famílias na rede de proteção social de assistência social;
  • Promover o acesso aos demais serviços setoriais, contribuindo para usufruto dos direitos sociais.
(BRASIL, MDS, Resolução n° 109 de 11 de novembro de 2009, pág. 11).
Público Atendido
  • Famílias em situação de vulnerabilidade social decorrente da pobreza, do precário ou nulo acesso aos serviços públicos, da fragilização de vínculos de pertencimento e sociabilidade e/ou qualquer outra situação de vulnerabilidade e risco social.

 

Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para Crianças de 0 até 6 anos

Este serviço tem por foco o desenvolvimento de atividades com crianças, familiares e comunidade, para fortalecer vínculos e previnir ocorrência de situações de exclusão social e de risco, em especial a violência doméstica e o trabalho infantil, sendo um serviço complementar e diretamente articulado ao Serviço de Atendimento Integral a Família (PAIF).
Objetivo
  • Complementar as ações de proteção e desenvolvimento das criaças e o fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários;
  • Assegurar espaços de convívio familiar e comunitário e o desenvolvimento de relações de afetividade e sociabilidade;
  • Criar espaços de reflexão sobre o papel das famílias na proteção das crianças e no processo de desenvolvimento infantil.

(BRASIL, MDS, Resolução n° 109 de 11 de novembro de 20009, pág. 11).

Público Atendido
  • Famílias com crianças de 0 a 6 anos, com prioridade para gestantes beneficiárias do Programa Bolsa Família (PBF) e as cadatradas no CadÚnico
  • Famílias encaminhadas pela rede socioassistemcial.

(BRASIL, MDS, Resolução n° 109 de 11 de novembro de 20009, pág. 10).

 

 Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para crianças e adolescentes de 6 à 15 anos
 
Tem por foco a contituição de espaço de convivência, formação para participação e cidadania, desenvolvimento do protagonismo e da autonomia das crianças e adolescentes, a partir dos interesses, demandas e potencialidades da faiza estária. As intervenções devem ser pautadas em experiências lúdicas, culturais e esportivas como formas de expressão, interação, aprendizagem, sociabilidade e proteção social. Inclui crianças e adolescentes com deficiência, retirados do trabalho infantil ou submetidos a outras violações, cujas atividades contribuem para re-significar vivências de isolamento e de violação de direitos, bem como propiciar experiências favorecedoras do desenvolvimento de sociabilidade e na prevenção de situações de risco social.
Objetivo
  • Complementar as ações da família e comunidade na proteçã e desenvolvimento de crianças e adolescentes e no fortalecimento dos vínculos familiares e sociais;
  • Assegurar espaços de referência para convívio grupal, comunitário e social e o desenvolvimento de relações de afetividade, solidariedade e respeito mútuo;
  • Possibilitar a ampliação do universo informacional, artístico e cultural das crianças e adolescentes, bem como estimular o desenvolvimento de potencialidades, habilidades, talentos e propiciar sua formação cidadã;
  • Estimular a participação na vida pública do território e desenvolver competências pata a compreeensão crítica da realidade social e do mundo contemporâneo;
  • Contribuir para a inserção, reinserção e permanência do jovem no sistema educacional.   

(BRASIL, MDS, Resolução n° 109 de 11 de novembro de 20009, pág. 12).

Público Atendido
  • Crianças encaminhadas pelos serviços d aproteção social especial: PETI, Serviço de Proteção Especializado a Famílias e Indivíduos; reconduzidas ao convívio familiar após medida protetiva de acolhimento; e outros;
  • Crianças e adolescentes com deficiência, com prioridade para os beneficiários do BPC;
  • Crianças e adolescentes cujas famílias são beneficiárias de programas de transferência de renda;
  • Crianças e Adolescentes de famílias com precário acesso a renda e a serviços públicos e com dificuldades para manter.

(BRASIL, MDS, Resolução n° 109 de 11 de novembro de 20009, pág. 11).

 
 
Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para Adolescentes de 15 à 17 anos - ProJovem Adolescente
 
O PROJOVEM Adolescente integra a Política Nacional de Juventude e insere-se entre os serviços socioassistenciais do Sistema Único de Assistência Social – SUAS, no contexto das Políticas Públicas voltadas à redução da pobreza e ao enfrentamento das desigualdades sociais.
 Objetivos
  • Complementar a Proteção Social Básica à família, criando mecanismos para convivência familiar e comunitária;
  • Criar condições para inserção e reinserção e a permanência do jovem no sistema educacional.
Público atendido

Jovens de 15 a 17 anos, referenciados ao território do CRAS – Centro de Referencia de Assistência Social, pertencentes:

  • Famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família;
  • Egressos de medidas socioeducativas de internação ou em cumprimento de outras medidas socioeducativas;
  • Egressos de medidas de proteção conforme Lei 8069/90 - ECA;
  • Egressos do PETI;
  • Egressos ou vinculados a programas e serviços de Combate à Violência e de Exploração Sexual.

 

A duração do serviço é de 24 meses, com carga horária anual com cada jovem de 1.200 horas, no mínimo 12,5 horas/semana.

Deve-se informar a freqüência dos jovens nas ações socioeducativas, no sistema de monitoramento, disponibilizado pelo MDS, no Setor de Cadastro Único Municipal. 
 
O número de participantes é de 100 jovens.
 Critérios de inserção: 
  • Família inscrita no Programa Bolsa Família
  • Adolescente matriculado no sistema escolar
 
 
Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para Idosos
 
Tem por foco o desenvolvimento de atividades que contribuam no processo de envelhecimento saudável, no desenvolvimento da autonomia e de sociabilidades, no fortalecimento dos vínculos familiares e do convívio comunitário e na prevenção de situações de risco social. A intervenção social deve estar pautada nas características, interesses e demandas dessa faixa etária e considerar que a viviência em grupo, as experimentações, inetresses e demandas dessa faixa etária e considerar que a vivência em grupo, as experimentações artísticas, culturais, esportivas e de lazer e a valorização das experiências vividas constituem formas privilegiadas de expressão, interação e proteção social. Devem incluir vivências que valorizam suas experiêcias e que estimulem e potencialize de escolher e decidir.
Objetivos
  • Contribuir para um processo de envelhecimento ativo, saudável e autônomo;
  • Assegurar espaço de encontro para os idosos e encontros intergeracionais de modo a promover a sua convivência familiar e comunitária;
  • Detectar necessidades e motivações e desenvolver potencialidades e capacidades para novos projetos de vida;
  • Propiciar viviências que valorizam as experiências e que estimulem e potencializem a condição de escolher e decidir, contribuindo para o desenvolvimento da autonomia e protagonismo social dos usuários.

 

(BRASIL, MDS, Resolução n° 109 de 11 de novembro de 20009, pág. 13).

Público Alvo

Idosos(as) com idade igual ou superior a 60 anos, em situação de vulnerabilidade social, em especial:

  • Idosos do BPC;
  • Idosos de famílias beneficiárias de programas de tranferência de renda;
  • Idosos com vivências de isolamento por ausência de acesso a serviços e oprtunidades de convívio familiar e comunitário e cujas necessidades, interesses e disponibilidade indiquem a inclusão no serviço.

(BRASIL, MDS, Resolução n° 109 de 11 de novembro de 20009, pág. 12).

 
 
 
 
Programa Bolsa Família - PBF
 
O Programa Bolsa Família (PBF) é um programa de transferência direta de renda que beneficia famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza em todo o País. O Bolsa Família integra o Plano Brasil Sem Miséria (BSM), que tem como foco de atuação os 16 milhões de brasileiros com renda familiar per capita inferior a R$ 70 mensais, e está baseado na garantia de renda, inclusão produtiva e no acesso aos serviços públicos.
 
Objetivos

O Bolsa Família possui três eixos principais focados:

  • na transferência de renda,
  • condicionalidades e
  • ações e programas complementares.
A transferência de renda promove o alívio imediato da pobreza. As condicionalidades reforçam o acesso a direitos sociais básicos nas áreas de educação, saúde e assistência social. Já as ações e programas complementares objetivam o desenvolvimento das famílias, de modo que os beneficiários consigam superar a situação de vulnerabilidade.
 
Público Alvo O Programa atende famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza de acordo com o perfil e tipos de benefícios: o básico, o variável, o variável vinculado ao adolescente (BVJ), o variável gestante (BVG) e o variável nutriz (BVN) e o Benefício para Superação da Extrema Pobreza na Primeira Infância (BSP). Os valores dos benefícios pagos pelo PBF variam de acordo com as características de cada família - - considerando a renda mensal da família por pessoa, o número de crianças e adolescentes de até 17 anos, de gestantes, nutrizes e de componentes da família.
 
 
Benfício Auxílio Natalidade
 

É um benefício da Política Nacional de Assistência Social (PNAS), de caráter suplementar e provisório, prestado aos cidadãos e às famílias em virtude nascimento e de vulnerabilidade temporária. 

Está assegurado pelo
art. 22 da Lei nº 8.742, de 7 de dezembro de 1993, Lei Orgânica de Assistência Social (Loas), alterada pela Lei nº 12.435, de 6 de julho de 2011. Juntamente com os serviços socioassistencias,  integra organicamente a garantia do Sistema Único de Assistência Social (Suas) com fundamentação nos princípios de cidadania e dos direitos sociais e humanos.

O Auxilio Natalidade, busca atender preferencialmente:

  • Necessidades do bebê que vai nascer;
  • Apoio à mãe nos casos em que o bebê nasce morto  ou morre  logo após o nascimento;
  • Apoio à família no caso de morte da mãe.
Objetivos
  • Propiciar aquisições as gestantes em situação de vulnerabilidade social;
  • Estabelecimento de parcerias;
  • Atendimento e cadastramento dos indivíduos e famílias em situação de vulnerabilidade social temporária e em virtude de nascimento, a fim de oferecer condições básicas para os primeiros cuidados com o bebê, após o nascimento;
  • Encaminhar as famílias atendidas para o acesso a programas e benfícios de transferência de renda;
  • Realizar busca ativa às gestantes perfil para o recebimento do benefício eventual auxílo natalidade.

     

 

Público Atendido Gestantes, independenete da idade, residentes no município de Cascavel, atendidas pelos Cras, com renda per capita inferior a 1/4 do salário mínimo, cuja necessidade seja identificada em avaliação de vulnerabilidade social, realizada por um assistente social, conforme Lei Municipal n° 4.756 de 29 de novembro de 2007.
 
 
Benfício Auxílio Alimentação
 

É um benefício da Política Nacional de Assistência Social (PNAS), de caráter suplementar e provisório, prestado aos cidadãos e às famílias em virtude de vulnerabilidade temporária. 

Está assegurado pelo
art. 22 da Lei nº 8.742, de 7 de dezembro de 1993, Lei Orgânica de Assistência Social (Loas), alterada pela Lei nº 12.435, de 6 de julho de 2011. Juntamente com os serviços socioassistencias,  integra organicamente a garantia do

Sistema Único de Assistência Social (Suas) com fundamentação nos princípios de cidadania e dos direitos sociais e humanos.

O benefício de Auxílio Alimentação está de acordo com o decreto Municipal n° 7.934/07  o qual estabelece o que compete à Secretaria Municipal de Assistência Social a distribuição de cestas básicas às famílias cadastradas e em situação de risco social.

Objetivos
  • Atender indivíduos e famílias em situação de vulnerabilidade temporária, que estejam necessitando de alimentos;
  • Inserir os beneficiários nas demais políticas sociais visando garantir acesso a aserviços públicos de qualidade que atendam as necessidades enfrentadas pelos usuários;
  • Garantir a concessão de benefícios e serviços aos indivíduos e famílias que atendem aos critérios;
  • Realizar cadastramento e acompanhamento contínuo dos indivíduos e famílias atendidas.
Público Atendido

Famílias o uindivíduos com renda de até R$70,00, conforme criterio de extrema pobreza considerado no PBF e/ou conforme avaliação social realizada po assistente social.

 
 
Benefício Auxílio Documentação Civil
 

Este benefício prioriza em especial as crianças e adolescentes, idosos, pessoas com deficiência e famílias em situação de vulnerabilidade social, elegível ou beneficiárias de programa de transferência de renda, dando condições de se manter emergencialmente e também auxiliando a sua inserção nas demais políticas sociais, visando sua autonomia e emancipação social.

Considerando a Lei Municipal 4.756/07, o Decreto n° 7.934/07 e a Lei federal n° 7.257/79.

 Objetivos
  • Estabelecer protocolo de atendimento dos Benefícios Eventuais no Cras;
  • Garantir informação e acesso à população aos serviços e benefícios eventuais na área de abrangência do Cras;
  • Garantir o acesso da população  a cidadania através do encaminhamento para emissão de documentos civis;
  • Encaminhar as famílias atendidas para acesso a programas e benefícios de transferência de renda e demais serviços do Cras;
  • Garantir acesso à população aos serviços da Rede Socioassistencial e Intersetorial. 
 Público Alvo
  • 1ª e 2ª via de Carteira de Identidade a estudantes, conforme Lei n° 14.424/04, renda familar até três salários mínimos;
  • 1ª e 2ª via de Carteira de Identidade para não estudantes, conforme Lei Federal n° 7.257/79, renda familar até três salários mínimos;
  • 2[ via de certidões de nascimento, casamento e óbito, após avaliação social de uma assistente social;
  • 1ª via do CPF para famílias em situação em vulnerabilidade social.
 
 
Benefício de Prestação Continuada - BPC
 
 
O Benefício de Prestação continuada de Assistência Social - BPC foi instituído pela Constituição Federal de 1988 e regulamentado pela Lei Orgânica da Assistência Social – LOAS, Lei nº 8.742, de 7/12/1993; pelas Leis nº 12.435, de 06/07/2011 e nº 12.470, de 31/08/2011, que alteram dispositivos da LOAS e pelos Decretos nº 6.214, de 26 de setembro de 2007 e nº 6.564, de 12 de setembro de 2008.
 
 
Programa federal realizado em parceria com INSS, qual determina que todo benefício liberado deverá ser revisto a cada 2 anos a partir da data da concessão.
 
Em Cascavel, as visitas domiciliares e o parecer social às pessoas inseridas, são realizadas pelas Assistentes Sociais dos Centros de Referência de Assistência Social – CRAS. 
Objetivo:
 
 
 

 

Garantir 01 salário mínimo mensal a idosos com 65 anos ou mais e às pessoas com deficiência, incapacitadas para o trabalho e à vida independente e com renda per capita inferior a ¼ de salário mínimo.

Pessoas beneficiadas: 
  • 2080 idosos
  • 1412 pessoas com deficiência. 
 
 
 
Serviço de Poteção Social Básica no Domicílio para Pessoas com Deficiência (PcD) e Idosos
 
O serviço tem por finalidade a prevenção de agravos que possam provocar o rompimento de vínculos familiares e sociais dos usuários. Visa a garantia de direitos, o desenvolvimento de mecanismos para a inclusão social, a equiparação de oportunidades e a participação e o desenvolvimento da autonomia das pessoas com deficiência e pessoas idosas, a partir de suas necessidades e potencialidades individuais e sociais, prevenindo situações de risco, a exclusão e o isolamento.
Objetivos
  • Realizar mapeamneto das pessos idosas e pessoas com deficiência para identificar situações de dependência de pessoas idosas e pessoas com deficiência.
  • Previnir agravos que possam desencadear rompimento de vínculos familiares e sociais de pessoas com deficiência e pessoa idosa.
  • Proporcionar ações que vissem a prevenção do confinamento de idosos e pessoas com deficiência, bem com oprevinir o abrigamento institucional com vistas a promover a sua inclusão social.
  • Incluir usuários (as) e familiares no sistema de proteção social e serviços públicos, conforme necessidades, inclusive pela indicação de acesso a benefícios e programas de tranferência de renda.
Público Alvo
  • Pessoas com deficiência e/ou pessoas idosas que vivenciam situação de vulnerabilidade social pela fragilização de vínculos familiares e sociais e/ou pela ausência de acesso a possibilidades de inserção, habilitação social e comunitária, em especial:
  • Beneficiários do BPC;
  • Membros de famílias
 
 
 
Serviço Socioeducativo Para Gestantes 
 
Este serviço trabalha e discute aspectos relacionados ao desenvolvimento gestacional, enfatizando pontos fundamentais da interação mãe/bebê.
 Objetivo: 
  • Promoção de um espaço de acolhimento, informação e trocas de experiências, proporcionando o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários e a prevenção de situações de risco pessoal e/ou social. 
Público atendido: 
  •  Mulheres gestantes.

O serviço busca estabelecer discussões reflexivas, atividades direcionadas ao fortalecimento de vínculos e orientações sobre os cuidados com as crianças.

 
 
 Programa Atitude

 Objetivos
  • Trabalhar de forma articulada com a rede escolar e demais serviços através de ações teóricas-práticas com crianças e adolescentes e suas famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade e/ou risco social.
  • Promover ações complementares a jornada escolar e em horários alternativos e finais de semana, visando o desenvolvimento de habilidades individuais para a vida, assim como elevação da auto-estima e vivência grupal, estimulando a permanência escolar, proporcionando o seu desenvolvimento integral, bem como orientação e apoio sócio familiar.    
Público Atendido Crianças e adolescentes de 05 a 17 anos e 11 meses, em situação de vulnerabilidade social, bem como suas famílias.  
Eixos que estruturam o Programa   
  • Fortalecimento dos vínculos familiares: aproximação de seus integrantes, objetivando o crescimento da criança e adolescente em um ambiente livre de violência.
  • Superação da violência contra crianças e adolescentes e criação de redes de proteção, visando combater todos os tipos de violência.
  • Práticas formativas e socializadoras e de cidadania: garantindo a inserção à educação, esporte, cultura, saúde, lazer, da criança e adolescente e sua família.
  • Combate ao uso de drogas: ampliação das redes de atendimento ao usuário de drogas e desenvolvimento das atividades que promovam o afastamento e a possível superação da doença.
  • Redução da violência juvenil: preenchimento do tempo ocioso com o desenvolvimento de atividades que despertem a reelaboração de valores sociais e solidários, promovendo a cultura da paz.
  • Fortalecimento das estruturas do sistema de garantia dos direitos, subsidiando a atuação do Conselho Tutelar através da sua vinculação nas comunidades atendidas com disponibilidade de equipe técnica para orientação e apoio familiar, conforme as necessidades desse órgão.

Os seis eixos de atendimento configuram-se como política pública que tem por objetivo consolidar a garantia dos direitos, bem como o desenvolvimento intelectual, solidário e humano, buscando a transformação de realidades, elevando a cultura da paz.