Cultura

 Quarta-feira, 20.09.2017

 

MUSEU HISTÓRICO CELSO FORMIGHIERI SPERANÇA

A partir da iniciativa do Professor Alexandre Câmpara, com o apoio do vereador Luiz Picolli e do então prefeito de Cascavel Pedro Muffato, foi criado no dia 26 de setembro de 1976 o Museu Histórico de Cascavel, por intermédio da lei nº 1204/76. Tais personalidades se empenharam neste projeto a fim de criar um ambiente propício para a difusão da história regional, bem como para a preservação da memória e identidade cascavelense. Assim sendo, o museu foi inaugurado com um acervo de 90 peças, localizado na Rua Barão do Cerro Azul, nº 355.

No ano de 1982 o então prefeito, Jacy Scanagatta, inaugurou o Centro Cultural Gilberto Mayer, situado na Rua Duque de Caxias, nº 379 e se caracterizando como um espaço destinado para a propagação da cultura em Cascavel. Este recinto tornou-se também o novo endereço do Museu Histórico de Cascavel, que a partir de então passou a se chamar Museu Histórico Celso Formighieri Sperança, em homenagem ao pioneiro da cidade que muito colaborou para o desenvolvimento do município.

O museu está aberto à visitação de segunda-feira a sexta-feira, em horário comercial, das 08:00 ás 11:30 e das 13:30 ás 17:30.

Constituição do acervo:

·         Dividido em Reserva Técnica e Exposição Permanente.

·         Atualmente conta com aproximadamente 1.200 peças, as quais abordam os temas mais variados, como: cotidiano, religião, trabalho, lazer, caça, guerra, arqueologia. 

Atividades Especializadas e Museológicas:

 

  • Atividades de pesquisa: documentação do acervo.
  • Atividades de pesquisa aplicada: Identificar, preservar e divulgar.
  • Atividades de documentação museológica: trabalho de pesquisa, higienização e catalogação.
  • Atividades expositivas nos últimos três anos: exposições de longa e curta duração. Exposições permanentes e itinerantes.
  • Atividades educacionais: visitas freqüentes de estudantes ao museu mediante prévio agendamento.
  • Atividades culturais: exposições, informações técnicas sobre o funcionamento do museu.
  • Oficina: “Higienização e Conservação de Acervos.”

Catalogação e inventário das peças museológicas, organização do acervo e organizações de exposições temáticas no próprio Centro Cultural e nas dependências do museu.

  • Projeto “Baú da Memória” com a finalidade de incentivo da educação patrimonial tendo o estudo de forma continua a partir do objeto museológico.

 CELSO FORMIGHIERI SPERANÇA, UM VISIONÁRIO EM CASCAVEL.

Celso Formighieri Sperança nasceu em 06 de março de 1927, na cidade de Caçador, Santa Catarina. Chegou a Cascavel no ano de 1953, para trabalhar como Secretário Geral do Município, a pedido do então prefeito, José Neves Formighieri. Na cidade, além do destaque no âmbito político, ele também foi vereador. Obteve proeminência no comércio local trabalhando, principalmente, com livros, cinema e diversão, se dedicando sobretudo à indústria de informação e ao trabalho historiográfico.

Dentre as inúmeras colaborações que deixou para a cidade, se destacam a primeira indústria gráfica de Cascavel, bem como, os dois primeiros jornais: o Correio d’Oeste e o Jornal A Verdade. Ainda foi o idealizador do sistema de telefonia e o responsável pela base da historiografia local, incentivando pioneiros como, por exemplo, Sandálio dos Santos  a registrar suas memórias. Faleceu em Cascavel, no dia 29 de março de 1977, sendo homenageado em 1982 emprestando o seu nome ao Museu Histórico da Cidade.

CONVÊNIO COM A UNIVERSIDADE PARANAENSE - UNIPAR

No ano de 2009, a partir de parceria estabelecida entre a Secretária de Cultura / Museu Histórico Celso Formighieri Sperança e a Universidade Paranaense – UNIPAR / Curso de História, foi realizada a Oficina de Higienização e Conservação de Acervo. Tal iniciativa é de caráter voluntário, e os alunos que participaram receberam certificados de horas extracurriculares. O principal objetivo era a restauração de peças da reserva técnica do Museu, e também a articulação entre teoria e prática no exercício historiográfico.

A coordenação e monitoramento da oficina foram empreendidos pela coordenadora da instituição museológica Silvia Maria Soares do Prado, e contou com a colaboração do Professor Fausto Alencar Irschlinger por parte da universidade.

Tal oficina gerou público e respaldo para a institucionalização da parceria com o Projeto de Extensão “História e Comunidade: catalogação de peças, organização de acervo e exposições no Museu Histórico de Cascavel” ministrado pelo Professor Vladimir José de Medeiros. Tal empreitada aconteceu durante os anos de 2009, 2010 e 2011 e rendeu aos participantes a experiência de buscar a prática aliada à teoria adquirida na Universidade.

ACERVO DISPONIVEL NA INTERNET

Com o intuito de divulgar o Museu Histórico à população cascavelense, a equipe técnica vem realizando um trabalho de catalogação e inventariação do acervo museológico, tendo como objetivo pesquisas, fotografias das peças e todos os processos devidos para que cada peça tenha sua história e dessa forma não perca sua identidade histórica e cultural.

 Com tal atitude espera-se que ocorra uma viabilização da instituição, bem como auxilio no processo de pesquisa, ensino e aprendizagem da rede de ensino regional.

http://www.cascavel.pr.gov.br/servicos/museuhistorico.

 PROJETO BAÚ DA MEMÓRIA

O “Baú da Memória” é um objeto de caráter pedagógico, que tem como finalidade a interação entre o Museu Histórico e a Rede de ensino. Este item consiste em um baú, propriamente dito, que é emprestado às escolas, com objetos históricos que sejam resistentes e possam sair do museu. Desta forma, procura-se dar um caráter dinâmico as aulas de história, e que a aprendizagem ocorra de forma permanente.

EXPOSIÇÃO TROPEIRISMO

O Museu do Tropeiro é o resultado do trabalho de resgate feito pelo Senhor Elias Ferreira da Silva, conhecido por Nenê, que teve o cuidado de reunir os objetos desta mostra, os quais foram doados ao Museu Histórico Celso Formighieri Sperança em 03 de outubro de 1980. 

Para a montagem desta exposição foram doados móveis e utensílios rústicos que representam aspectos da vida do Tropeiro.

O Tropeiro, com hábitos e costumes próprios, teve papel importante na história do Paraná.  Dedicava seu tempo a transportar, montado em seu cavalo, gado, produtos e artefatos aos mercados consumidores.

A casa do Tropeiro era simples. A cama rústica com colchão e coberta em couro de vaca, sobre ela, manta e travesseiro em couro macio.

Na cozinha a mesa e banquetas de couro, a cuia e chaleira para o chimarrão e o pilão para o preparo da comida: triturar o milho, descascar o arroz, como um moedor manual.

Era comum ao tropeiro estar armado para conquistar os caminhos difíceis, caçar animais selvagens e se defender de todos os perigos.

           O Museu Histórico conta com exposições permanentemente expostas ao público, devido à importância histórica das peças e todo contexto histórico.

A exposição fotográfica de Cascavel, de imagens do acervo do MIS- Museu da Imagem e do Som, encontra-se na entrada do Museu, e mostra ao público o desenvolvimento da cidade através de imagens. As principais edificações das décadas de 50 e 60, personalidades, fatos que marcaram épocas, além de quadros que mostram com fotos e textos explicativos o crescimento e mudança de estrutura de Cascavel, década a década, desde os anos 30 até os anos 90. Encontra-se também, complementando a compreensão do contexto, uma maquete onde é visto o surgimento da cidade, seu desenho, possibilitando aos visitantes um olhar amplo sobre os locais que fizeram parte da gênese do município, bem como a separação temporal e espacial da cidade nos chamados períodos do Patrimônio Velho e Patrimônio Novo.

Além de peças utilizadas no cotidiano das casas da cidade em sua formação, encontra-se objetos que mostram o desenvolvimento da cidade, como a primeira bomba de combustível do primeiro posto da cidade, um projetor de cinema que era utilizado no Cine Delfim, entre outras peças.

As exposições tem como objetivo maior possibilitar à população da cidade um passeio na história, olhando de perto as peças que fizeram parte da construção da cidade, e também o conhecimento de como toda essa construção se deu. Para esse conhecimento, o Museu conta com o serviço de monitoria, prestado por alunos do curso de História da UNIPAR, onde apresentam o museu e contam um pouquinho do desenvolvimento histórico de Cascavel, aliando o conhecimento adquirido na universidade com a transmissão do conhecimento historiográfico da cidade. Essa monitoria guiada é disponível a grupos escolares e visitantes em geral.

 

COORDENADORA DO MUSEU HISTÓRICO CELSO F. SPERANÇA

Silvia Maria Soares do Prado

 

 Museu Histórico Celso F. Sperança

Fone: (45) 3902-1865 - Ramal 1133 - e-mail: museuhistoricodecascavel@gmail.com

Rua Duque de Caxias, 379 - Centro - CEP 85.801-011