Notícias

 19.05.14 - 12h13

Cascavel é referência no ensino de programação nas escolas

Criança aprende brincando, quanto mais se ela puder criar o seu próprio brinquedo. É a partir dessa ideia que o ensino de programação tem sido case de sucesso em escolas municipais de Cascavel. O trabalho com scratch nos laboratórios de informática das escolas teve início no ano passado.

De acordo com o coordenador do Núcleo de Tecnologia Educacional Municipal, Jocemar do Nascimento, em 2012 foi iniciado o treinamento com instrutores de informática, em 2013 algumas escolas começaram a realizar as aulas de programação com alunos dos quartos e quintos anos.

“Os frutos já começaram a ser colhidos. As crianças começaram a desenvolver mais recursos, mais projetos, utilizando o scratch. O projeto funciona no horário concomitante de aula, no horário de aula de informática, dos alunos. Em todas as escolas do Município, os alunos têm no mínimo 50 minutos de aula no laboratório todas as semanas, e algumas escolas têm aplicado o scratch como uma das ferramentas para desenvolver os conteúdos pedagógicos de sala de aula. O scratch não é só a programação, tem todo um trabalho por trás que faz com que isso seja possível. O aluno tem que pesquisar na internet, encontrar fonte de material para usar na programação, e a programação é só o resultado disso”, destacou Jocemar.

O coordenador do Núcleo de Tecnologia Educacional explicou ainda que nos netbooks do projeto Escola.com, que já começaram a ser entregues aos alunos, o scratch já está instalado. “Todas as turmas de quarto e quinto ano terão acesso, em sala de aula, aos mesmos aplicativos que são usados no laboratório e até mais alguns que foram providenciados pela Secretaria de Educação”.

O ensino da tecnologia tem inspirado muito alunos e também professores. A instrutora de informática Roseli de Souza Ramalho, da Escola Municipal José Baldo, viu na programação uma oportunidade de crescimento profissional. Roseli, aos 30 anos, trabalhava como zeladora de escola e havia estudado até a quarta série. Foi então que decidiu voltar a estudar, fez o ensino médio e resolveu se especializar em informática.

“Eu via o pessoal trabalhando com uma máquina de escrever e eu achava lindo o som daquela máquina, me impressionava quando passava em frente aos escritórios e escutava o barulho das máquinas trabalhando. Isso me motivou, eu queria aprender a fazer jogos, essas coisas. Tenho dois filhos e aprendi muita coisa com eles, colocávamos jogos no vídeo game para jogar e fui aprendendo a gostar de informática assim. Depois dos 30 anos que comecei a trabalhar com isso. Estar hoje ensinando é um acontecimento. Jamais imaginei que poderia fazer isso, e é muito gratificando ensinar aquilo que você sofreu para aprender. Hoje eles tem muitas oportunidades e é muito bom”, destacou Roseli.

A história da professora Roseli e da experiência com o ensino de programação em sala de aula foi mais longe. Rendeu uma participação dos alunos e da professora em programa televisivo a nível nacional, o Esquenta da Rede Globo. Os alunos Matheus e Vinicius contaram um pouco dessa experiência.

“No programa falamos sobre o jogo que criamos, o Ping-Pong, sobre a tecnologia do colégio, a professora falou da vida dela, como ela começou a ser professora de informática”, disse o aluno Matheus Moreira Leite, da Escola Municipal José Baldo. “A gente falou tudo que fazemos no computador, os jogos que fizemos. Foi muito legal”, comentou Vinicius da Silva Fabris.

Em sala de aula, além de aprender programação, os alunos montam seus próprios jogos educativos de português, matemática e outras disciplinas. “Faço tudo por códigos. Tem tudo escrito nos bloquinhos de códigos, aí eu pego esses códigos e mudo pra lá (no jogo) e tudo que está escrito nos códigos o personagem que criamos faz. Eu faço jogos em casa também, porque a professora deu um CD para instalar no computador de casa, daí eu jogo em casa. É importante, porque a gente não fica igual antes, muito lento em computador, a gente fica mais rápido. E lá não tem só os códigos, lá tem o português, a matemática, a ciências”, disse Vinicius.

“Já fiz uns cinco jogos, faltam um ou dois para fazer o objetivo e é bem fácil. Acho que o ensino de programação é importante, não só para mim, mas para todos os meus amigos e para a matéria em sala de aula, porque também usa matemática nos jogos”, destacou Matheus.

O Município tem realizado investimentos importantes na educação, inclusive na área da tecnologia. O Projeto Escola.com já é realidade e os alunos já estão recebendo seus netbooks. “Esse projeto vai fazer grande diferença, nós vamos dar um salto de qualidade, daqui a três, quatro anos vamos começar a colher os frutos dessa tecnologia que estamos levando para as crianças. Todos viram que nossa professora, nossos alunos foram chamados a participar de um programa de nível nacional e logicamente que eles buscam evidenciar aquilo que é bom. Cascavel já está bem nessa área de tecnologia. Agora começamos a distribuição dos computadores para todos os alunos do quinto ano, são mais de 4.800 alunos, que receberão. Se investe bastante na área de educação por que acreditamos e temos convicção de que é pela educação que vamos fazer a grande transformação no nosso município de Cascavel”, frisou o prefeito Edgar Bueno.
 

 Imprimir   Enviar por email   Comunicar erro   Receber Notícias  Compartilhe:  Compartilhe no Twitter  Compartilhe no Facebook  Adicione aos favoritos no Google

» Notícias Recentes

» Notícias Mais Acessadas