27/07/2018 - Liderança: "Não faríamos a aquisição sem aval da sociedade e da Câmara"
Prefeito liderou visita técnica de comitiva que demonstrou aprovação à proposta do Município de adquirir o imóvel que Município pretende transformar no novo Centro de Eventos da cidade "Não faríamos a aquisição sem aval da sociedade e da Câmara", garantiu nesta manhã (27) o prefeito Leonaldo Paranhos ao liderar uma visita técnica ao imóvel localizado às margens da rodovia BR-277, na saída para Curitiba, onde funcionava até pouco tempo atrás as antigas instalações do Atacado Liderança. O objetivo foi apresentar à sociedade civil organizada, ao secretariado municipal, aos vereadores e a líderes da comunidade, a estrutura vislumbrada pelo Município para ser transformada no novo Centro de Convenções e Eventos da nossa cidade, "mas fiz questão de trazer a comitiva para tomar uma decisão em conjunto e para que pudessem conhecer a qualidade da obra", explicou Paranhos. Mais de 50 pessoas participaram da comitiva, entre secretários, vereadores, empresários e membros do G8 e Observatório Social. Em recuperação judicial, o imóvel avaliado em R$ 45 milhões já foi a leilão, teve liberação do juízo da recuperação judicial e autorização da assembleia de credores dando a preferência para a aquisição em favor do Município de Cascavel, o que exige uma resposta com efetivação do depósito do valor de despacho judicial de R$ 28 milhões em até 90 dias. Para a aquisição, o Município busca financiamento em instituições financeiras como a Fomento Paraná ou a Caixa Econômica Federal e, tendo o empréstimo aprovado, enviará anteprojeto de lei para a Câmara de Vereadores. "Não gostaríamos de ver a família passando por isso, mas a situação já chegou à esfera judicial e alguém irá comprar este bem. Então o Município se antecipou, após vencidos os trâmites legais e o leilão, com um protocolo de aquisição, para termos a possibilidade de garantir este imóvel para a cidade", continuou o prefeito, que iniciou o mandato com um Plano de Governo que contempla a construção de um novo Centro de Eventos e um CD (Centro de Distribuição) que garanta economia e organização ao atual almoxarifado da Prefeitura. A aquisição do referido imóvel contemplaria as duas propostas, uma vez que o atual Centro de Eventos seria destinado ao CD. "Isso sem falar que uma obra como esta custaria pelo menos R$ 50 milhões e levaria no mínimo cinco a seis anos para ser construída". "Evolução de 20 anos" A proposta do Município vem ao encontro de uma bandeira antiga das entidades de classe, como explicou o presidente da Acic, Edson Vasconcelos, para quem, "a compra fecha um ciclo antigo". "Estamos pedindo isso há três mandatos, pois o Município compra mais R$ 200 milhões por ano e precisa contar com um Centro de Distribuição, pois isso minimiza a perda de produtos, melhora a qualificação de quem recebe e a qualidade os produtos entregues. Essa aquisição resolve o problema do almoxarifado e já traz um Centro de Eventos compatível com a envergadura da nossa cidade, fechando um ciclo e evoluindo 20 anos" O raciocínio foi seguido também pelo presidente do Observatório Social, Rui Dias da Rosa, que preferiu "não emitir juízo de opinião em relação à compra, mas fazer uma avaliação como cidadão". E, para ele, "isso vislumbra um sonho acalentado do almoxarifado central, que traz bons frutos no processo de controle, recebimento e distribuição, centralizando com eficiência maior, na perspectiva do que pensa o Observatório Social". Vereadores aprovam visita Boa parte do Legislativo participou da visita e pôde esclarecer dúvidas com o prefeito e os secretários. Dentre eles, o vereador Policial Madril. Ele disse que tanto a visita como a explanação da proposta o ajudou a esclarecer dúvidas que agora podem ser repassadas à população que o questionar. "Num primeiro momento muita gente fica impactada com o valor e não entende a compra, mas quando a prefeitura vem e esclarece, como hoje, ajuda a todos a entender. Isso foi positivo. Vimos que o local é muito bom, mas agora cabe à prefeitura encaminhar um projeto claro, que mostre a economia que isso gerará inclusive com aluguéis e o custo-benefício desta compra". Pedro Sampaio entende que a visita foi proveitosa, porque como "o empréstimo será votado na Câmara, temos de ter este juízo muito bem formado". Ele entende que o empreendimento é adequado ao novo Centro de Eventos e atende aos anseios, "e agora resta levantar dados técnicos sobre melhorias, readaptação e gerência, pois é grandioso e precisamos saber como será otimizado. Também temos convocado audiência pública para esclarecer e o ouvir a população, uma vez "que é importante envolver todos nesta debate". O vereador Alécio Espínola disse que a decisão pode "já estar tomada, pois o local é muito interessante, e nós precisamos deste grande Centro de Eventos, pois Cascavel precisa planejar o futuro, agora". Mais de 68 mil metros quadrados O empresário Beto Casagrande, do Atacado Liderança, mostrou a estrutura ao grupo e disse que caso a transação seja concretizada, será "um presente para a cidade", uma vez que torce para o imóvel ter uma destinação abrangente, pois a estrutura "vale até cinco vezes mais o que está cogitado a pagar". O local conta com uma área total de 68.677,37 metros quadrados, com área edificada de 17.494,77 metros quadrados. Somente o salão principal tem 10 mil metros quadrados, com sistema de ar condicionado central, auditório, restaurante, cozinha e refeitório, banheiro e um hotel com nove quartos e 28 leitos. A área de estacionamento e pátio de manobras conta com 24.568 metros quadrados conta ainda com uma área disponível para expansão de mais 26.515 metros quadrados, estrutura que segundo Casagrande "pode ser muito bem aproveitada pela sociedade". Espaço totalmente estruturado, que segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, João Alberto Soares de Andrade, necessitaria de apenas algumas adaptações para as necessidades do Município e que pode, inclusive, abrigar um polo têxtil. "Já realizamos todos os estudos necessários para fazer, no local, um Centro de Eventos multiuso para áreas hoje não contempladas no Município, como eventos de pequeno e médio porte, específicos da região. A ideia é trazer grandes eventos de âmbito nacional, planejamento de ocupação da área, com readequação, salas para pequenos eventos e geridas pela secretaria.
25/05/2018 - Allan Padovani: Concorrência Pública abre disputa para mais 8 áreas na segunda
Será aberta às 14 horas de segunda-feira (28), no Departamento de Gestão de Compras da Prefeitura de Cascavel, a Concorrência Pública nº 10/2008 para a alienação de imóveis localizados em núcleos industriais do Município. São mais oito áreas que variam entre 1.537 m² e 1.872 m² sendo comercializadas a um valor inicial de R$ 85,00 o m² e que ampliarão em mais 13 mil m² o Núcleo Industrial Allan Charles Padovani, localizado na rodovia BR-467, KM 10, saída para Toledo. De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico, João Alberto Soares de Andrade, a disputa pública está prevista no âmbito do Prodec (Programa de Desenvolvimento Econômico de Cascavel), regido pela Lei Municipal nº 5.422 de 2010 e regulamentado pela Lei Municipal nº 6.580 de 2016, observada as disposições da Lei Federal nº 8.666 de 1993. "Podem participar desta concorrência empresários do ramo industrial, comercial e de prestação de serviços que se enquadrem nos critérios da lei e atendam ao edital de licitação", detalha o secretário. O julgamento das propostas será efetuado pela Comissão Permanente de Licitação, sendo declarado licitante vencedor em cada item o interessado que apresentar a maior preço para o objeto “item” cotado, a partir dos preços mínimos estipulado no Anexo I do edital. João Alberto esclarece que os terrenos alienados são destinados exclusivamente para o desenvolvimento econômico e empresas geradoras de emprego. Os imóveis não podem ser alienados ou locados pela empresa beneficiada antes de decorridos dez anos da lavratura da escritura pública de compra e venda. "E, mesmo após a venda, a finalidade industrial, comercial atacadista ou de prestação de serviços da área deverá ser mantida", complementa o secretário.  
15/05/2018 - Cascavel participa da Semana do MEI e de Educação Financeira
Hoje a unidade móvel do Fomento Paraná está em frente à Prefeitura para atender e orientar empreendedores Começou ontem (14) em todo o Brasil e também no Município de Cascavel a Semana do MEI (Microempreendedor Individual) e a Semana de Educação Financeira, um evento organizado pelo Sebrae e que em nossa cidade tem a parceria das Salas do Empresário, por meio do Programa Empresa Fácil. Até sexta-feira (18) várias ações estão agendadas, todas gratuitas e voltadas aos empreendedores de micro e pequenos negócios, além de pessoas físicas que desejam esclarecer dúvidas sobre negócios empresariais. "Trata-se de uma boa oportunidade para os empreendedores e também pessoas físicas esclarecerem dúvidas sobre obrigações legais do MEI, sobre como abrir ou melhorar o negócio próprio e, ainda, emitir a DASN [Declaração Anual do Simples Nacional à Receita Federal] cujo prazo termina no dia 31 de maio", esclarece o secretário de Desenvolvimento Econômico, João Alberto Soares de Andrade. Neste ano a mobilização tem como foco principal a orientação do MEI para estimular vendas, uma vez que a última pesquisa do perfil do MEI levantou que 31% dos empreendedores apontaram a dificuldade de conquistar clientes. Programação A semana reserva espaço para orientações presenciais e online, com palestras, consultorias e bate-papos com especialistas nas Salas do Empresário. Em Cascavel, por exemplo, diariamente está sendo oferecida consultoria do Sebrae na Sala do Empresário da Prefeitura. Hoje (15) a unidade móvel do Programa Fomento Paraná está em frente à Prefeitura de Cascavel com especialistas prestando serviços e esclarecimento financeiro. O atendimento será oferecido até as 17 horas. Para quinta-feira (17) está programada uma oficina para MEIs na sala de reuniões do terceiro piso, do Paço Municipal, das 19 às 22h30. Onde receber orientações - Sala do Empresário da Prefeitura, no piso térreo do Paço Municipal. Informações pelo 3321-2070. - Sede Administrativa Região Norte, localizada à Avenida Papagaios, 1.127, no Bairro Floresta. Informações pelo 3902-1280  
09/05/2018 - Bike Legal chega ao Centro levando cidadania e respeito aos ambulantes
Prefeito e equipe fizeram hoje a entrega das primeiras bicicletas que visam à padronização dos camelôs na área central "Há muitos anos que estamos pleiteando melhorias e a nossa regularização, e o Paranhos veio na campanha, prometeu que daria um jeito, e hoje ele está aqui cumprindo. Tenho certeza que agora vão nos ver com outros olhos, pois este projeto marca a nossa legalização. Até para quem vem de fora fica melhor. É, com certeza, a garantia de mais respeito para os ambulantes". Com essas palavras o senhor Hélio de Camargo, de 78 anos, que mora há 47 anos em Cascavel, e há 27 ganha a vida como vendedor ambulante, resumiu como será a rotina de agora em diante com a oficialização do Projeto Bike Legal no Centro da cidade. Nesta manhã (9), ele e outros 18 colegas que atuam na região central receberam as primeiras bicicletas adaptadas para a venda dos produtos que garantem "o ganha pão dessas famílias. As pessoas que estão torcendo contra, alegam que custará R$ 20 mil cada bike, quando na verdade elas têm preço médio de R$ 4,9 mil. Não é caro, porque vocês são seres humanos de qualidade", disse o prefeito durante o pronunciamento, lembrando que esta não é uma decisão arbitrária do prefeito. "É um projeto amplamente discutido, que o poder público está dando o exemplo. O gestor público precisa cumprir a lei, resolver, buscar soluções. E eu estou feliz por estarmos resolvendo mais um gargalo em nossa cidade". Padronização O Projeto Bike Legal, lembrou o secretário de Desenvolvimento Econômico, João Alberto Soares de Andrade, visa à padronização dos ambulantes e faz parte de um amplo programa de revitalização do comércio da região central de Cascavel que começou a ser executado ainda no ano passado. Ele envolve uma parceria inédita entre Município, a Fecomércio (Federação do Comércio do Paraná e o Sebrae. A ideia é implementar novas práticas comerciais para atrair consumidores e tornar o local um excelente espaço de compra e lazer para os moradores e visitantes, o que se traduz num shopping center a céu aberto. Já o projeto da revitalização do comércio é amplo e deve atingir diretamente 250 empresas localizadas entre a Rua Sete de Setembro e Barão do Cerro Azul. E esse número pode aumentar, dependendo da adesão de outros comerciantes fora desse trecho. Projeto experimental Foram entregues hoje as primeiras 19 bicicletas aos ambulantes que começaram a ser recadastrados ainda em 2014 pela Coopla (Comissão Permanente de Licenças para Atividades Ambulantes) para receber o Alvará. Ao todo serão 23 até o fim da semana. "Criamos um modelo estético e de qualidade de fiscalização único no Município", detalhou o secretário, explicando que as primeiras bicicletas foram entregues com a assinatura de um termo de autorização de uso, por um período experimental de 60 dias para adaptação e avaliação do modelo, que pode sofrer alterações. Após este prazo, será assinada com os ambulantes uma permissão de uso. "Isso representa uma conquista de anos, que garante o nosso reconhecimento. Agora sim somos uma categoria de verdade", disse o presidente da Acac (Associação de Camelôs e Vendedores Ambulantes de Cascavel) Josivan Lins de Oliveira. Conquista que para o ambulante Elvis Júnior Pereira, que recebeu a bicicleta em total empolgação, representa mudança de mentalidade para a população. "O nosso sistema de trabalhar será o mesmo, mas seremos vistos de forma diferente pelas pessoas, pois a estética agora é outra. Sempre defendi a estética, porque a gente se virava com caixas de papelão ou outros meios de transportar os produtos. Agora fica todo mundo igual, então para ficar bom, porque não a bike legal?", comemorou. Quatro modelos As bikes têm quatro modelos diferentes, de acordo com cada especificidade de comércio ambulante. São dotadas de três rodas, ombrelone e contam com compartimentos para a armazenagem e exposição dos materiais. A empresa de Cascavel JEC Traillers Reboques e Metalúrgica Ltda venceu o Pregão Eletrônico nacional realizado pela BBMnet para fornecer as bicicletas adaptadas, concedendo desconto de 5,15%. Com preço máximo de R$ 300.273,21, o Registro de Preços por 12 meses fechou em R$ 284.800,00, com redução de R$ 15.473,21 sobre o valor inicial total para até 57 bicicletas. Inicialmente foram adquiridas 23 bicicletas.
23/04/2018 - Semdec promove reunião da Câmara Técnica de Educação Empreendedora
A Secretaria de Desenvolvimento Econômico reuniu, na sexta-feira (20), integrantes da Câmara Técnica de Educação Empreendedora do Comitê Gestor Municipal para tratar do plano de ações para 2018, uma vez que o objetivo da Câmara Técnica é debater e estabelecer diretrizes para inserir o tema Empreendedorismo nas salas de aula em todos os âmbitos escolares. Formada por diversos representantes da administração municipal, instituições de ensino e Sebrae, a Câmara Técnica incluirá novos membros nos próximos encontros, como representantes do Conselho de Desenvolvimento Econômico Sustentável de Cascavel da Acic; do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente; do Sindicato das Escolas Particulares, entre outros. Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, João Alberto Soares de Andrade, “é preciso promover o debate, desmitificar o tema e nivelar o conhecimento sobre o empreendedorismo em todos níveis da de ensino”. Além do convite para novos integrantes, a Câmara Técnica participa no dia 18 de maio da Feira de Inovação e Tecnologia organizada pela Fundetec, durante a qual serão abordados temas como "O Ensino Fundamental e a Educação 4.0 - Desafios e Oportunidades"; "O Ensino Médio e a Educação 4.0 -Desenvolvimento de Habilidades"; "O Ensino Técnico e a Educação 4.0 - Uma nova forma de aprender" e "O Ensino Superior Presencial e à Distância - Desafios e Oportunidades".
11/04/2018 - Food Bikes: reunião alinha nova proposta de trabalho com ambulantes
O novo modelo de trabalho dos vendedores ambulantes de Cascavel que atuam na região central da cidade foi detalhado na noite de ontem (10) em reunião entre a equipe da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, trabalhadores ligados à Acac (Associação de Camelôs e Vendedores Ambulantes de Cascavel) e membros da Coopla (Comissão Permanente de Licenças para Atividades Ambulantes). O secretário de Finanças, Renato Segalla, também participou do encontro. O secretário de Desenvolvimento Econômico, João Alberto Soares de Andrade, detalhou aos ambulantes como eles deverão atuar a partir da entrega das Food Bikes que foram licitadas, quem poderá receber os novos equipamentos e a forma de divisão dos pontos. A reunião foi considerada positiva porque tanto o Poder Público pôde expor de forma clara os objetivos da proposta de revitalização da área central, que inclui a regulamentação do que já ocorre, mas agora de uma maneira ordenada, com um formato padronizado e que facilita inclusive a fiscalização, e também porque os ambulantes saíram satisfeitos por esclarecerem dúvidas quanto ao novo formato de atuação. "Foi mais uma reunião de alinhamento e de apresentação da proposta de trabalho, que está pautada no Programa de Revitalização de todo o comércio da área central e que nós devemos começar dando o exemplo, com esta organização dos vendedores itinerantes", destacou o secretário, que espera que até o início de maio as mudanças sejam lançadas oficialmente, já com a entrega das primeiras 38 Food Bikes. Ficou com a Acac a missão de definir em quais pontos cada vendedor ficará instalado, seguindo o mapa de localização previamente definido pela nova regulamentação. Caberá à Coopla indicar quais ambulantes estão regulamentados, de acordo com a ordem cronológica de solicitação feita quando do recadastramento iniciado ainda em 2015. Para o presidente da Acac (Associação de Camelôs e Vendedores Ambulantes de Cascavel) Josivan Lins de Oliveira, a regulamentação será positiva para a associação, uma vez que irá melhorar a organização dos membros. "Isso mostra a união entre o governo e os vendedores e que está sendo bem encaminhado este planejamento. Nossa preocupação era com aqueles que não podem circular, mas agora ficou esclarecido que poderemos ficar parados com as bicicletas e, ainda, escolher os pontos", avaliou. O próximo passo, agora, é uma reunião com membros da Coopla para aprovar o mapa de pontos e o novo modelo de distribuição de pontos definido ontem à noite na reunião.  
29/03/2018 - Ambulantes: Empresa de Cascavel vence Pregão para fornecer as food bikes
Padronização dos ambulantes dá mais um passo dentro do amplo projeto de revitalização do comércio da área central da cidade A empresa de Cascavel Jec Trailers Reboques e Metalúrgica Ltda foi classificada nesta manhã (29) durante o Pregão Eletrônico nacional realizado pela BBMnet para fornecer as bicicletas adaptadas que serão utilizadas pela administração municipal no projeto de padronização dos vendedores ambulantes da área central da cidade. A licitação prevê a compra de quatro modelos diferentes das denominadas food bikes, num total de 38 unidades nesta primeira etapa do projeto. Com preço máximo de R$ 300.273,21, o Registro de Preços por 12 meses atraiu três empresas participantes, sendo as outras duas de São Paulo. Aberto às 10 horas, foi finalizado logo em seguida com desconto de 5,15% concedido pela Jec Trailers, fechando em R$ 284.800,00, com redução de R$ 15.473,21 sobre o valor inicial. A segunda colocada, Alves e Santos Equipamentos Esportivos e Recreativos Ltda - ME, de São Paulo, deu lance de R$ 285.150,00 e a terceira, Megacom Comércio e Serviços Eirelli permaneceu no valor inicial de R$ 300.273,21. Ao todo, o Registro de Preços prevê a aquisição de até 57 bikes, sendo 15 do modelo 1; 20 do modelo 2; cinco do modelo 3 e 17 do modelo 4. As food bikes possuem três rodas, ombrelone e contam com compartimentos para a armazenagem e exposição dos materiais, de acordo com a especificidade de cada comerciante. Os modelos oficiais serão distribuídos aos ambulantes que forem autorizados, que pagarão um valor anual para utilização das bikes após a obtenção da permissão de uso. Esse valor, segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, João Alberto Soares de Andrade, ainda está em estudo e será publicado em decreto. A padronização dos ambulantes faz parte de um amplo projeto de revitalização do comércio da região central de Cascavel que começou a ser executado ainda no ano passado e que envolve uma parceria inédita entre Município, a Fecomércio (Federação do Comércio do Paraná e o Sebrae. A ideia é implementar novas práticas comerciais para atrair consumidores e tornar o local um excelente espaço de compra e lazer para os moradores e visitantes da cidade, o que se traduz num shopping center a céu aberto. "No caso dos ambulantes, eles começaram a ser recadastrados ainda em 2014 pela Coopla (Comissão Permanente de Licenças para Atividades Ambulantes) para receber o Alvará. A triagem dos primeiros a receber as bikes também está por conta da Coopla. Além disso, cria-se um modelo estético e de qualidade de fiscalização único no Município", explica o secretário, lembrando que para obter o Alvará é necessário que os vendedores ambulantes tenham o protocolo de Alvará aprovado pela Coopla e atendam à legislação vigente. Já o projeto da revitalização do comércio é amplo e deve atingir diretamente 250 empresas localizadas entre a Rua Sete de Setembro e Barão do Cerro Azul. E esse número pode aumentar, dependendo da adesão de outros comerciantes fora desse trecho.  
20/02/2018 - Feira do Teatro: equipe organizadora finaliza detalhes para abertura domingo
Está quase tudo pronto para o ato que vai marcar a abertura oficial, às 9h30 deste domingo (25), da Feira do Teatro, o novo ponto de encontro domingueiro de famílias e de apaixonados por arte e cultura nas suas mais variadas formas. A Feira - que conta com 38 artesãos cadastrados, além de espaço para a Economia Solidária e entidades, totalizando 43 barracas autorizadas - será realizada todo domingo, das 8 às 15 horas, no estacionamento do Teatro Municipal Sefrin Filho e Centro Cultural Gilberto Mayer, na Rua Duque de Caxias, entre as ruas Rio de Janeiro e Santa Catarina. "Estamos animados, os trabalhos estão andando num ritmo intenso, os expositores já realizaram vários testes e estão com ótimas expectativas. A comunidade também está aprovando a ideia. É uma feira que iremos construir todos juntos, criando uma nova tradição em nossa cidade para a arte, a cultura e o desenvolvimento", destaca o secretário de Cultura e Esportes, Walter Parcianello, que coordenou os trabalhos nesta manhã (20) junto o presidente do IPMC, Alcineu Gruber, e com representantes das várias secretarias envolvidas na implantação da Feira. Participaram representantes do cerimonial, da Guarda Municipal e da Cettrans, do gabinete do prefeito, da Comunicação, das Secretarias de Meio Ambiente, Cultura e Esportes e Desenvolvimento Econômico. A organização trabalha também com os expositores, para deixar tudo pronto para o grande dia e, depois, para manter a rotina da feira, que para um melhor funcionamento e acesso dos visitantes, terá a Rua Duque de Caxias fechada das 6 às 17 horas aos domingos, entre as ruas Rio de Janeiro e Santa Catarina. A Cettrans fará a organização do trânsito no local e a orientação para os moradores e comerciantes do entorno. Na nova feira os frequentadores encontrarão artesanatos variados, alimentos artesanais, obras de arte, produtos customizados e food-truck, entre outros produtos característicos de feiras culturais, como atrações artísticas no palco livre. No domingo (18), feirantes montaram as barracas de forma experimental, de acordo com a localização definida por meio de sorteio. Além de carros antigos, exposição e comércio de produtos manuais (incluindo bijuterias e brinquedos pedagógicos); exposição e comércio de obras de arte; comércio de produtos alimentícios artesanais: bolos, pães, geléias, conservas, licores, etc; comércio e/ou troca de moedas antigas, livros, selos, brechó, moda; comércio de peças de antiquários; comércio de produtos étnicos a Feira do Teatro também terá espaço para entidades beneficentes. Além disso, próximo a datas comemorativas será estimulado o comércio de produtos alusivos, como no Dia das Mães, Páscoa, Dia dos Namorados, Dia dos Pais, Natal, entre outros. Quem pode expor Os expositores que irão participar da Feira do Teatro foram selecionados por meio de edital e atenderam aos critérios estabelecidos no regulamento que instituiu a feira, ou seja, de comercializar e expor produtos reconhecidamente classificados como artesanais ou artísticos, confeccionados pelo próprio expositor. Até o momento são 38 cadastrados (mais as barracas das entidades), mas a feira tem espaço para até 55 expositores. Assim que a feira for implantada e estiver funcionando normalmente, um novo edital será publicado para preencher as vagas restantes, de acordo com os critérios do Decreto nº 14.020, de 2 de fevereiro de 2018. Os selecionados têm o custo anual de 3 UFMs para utilizar o espaço público, o aluguel da barraca e a autorização de participação. Para os veículos (Food-Trucks) o valor da utilização do espaço público é de 3 UFMs por ano. Hoje a UFM (Unidade Fiscal do Município) tem valor de R$ 42,05.